portella.com.br

Blog pessoal de Felipe Portella

Dicionário 4×4

without comments

Bloqueio de Diferencial

É um dispositivo colocado no diferencial para convertê-lo de aberto
para fechado, quando as duas rodas ficam ligadas uma a outra e giram
exatamente da mesma forma. O bloqueio pode ser acionado mecanicamente,
eletricamente ou a ar. O uso de diferencial bloqueado é muito
importante em subidas e descidas íngremes e escorregadias, onde o giro
em falso de uma roda pode fazer com que o 4×4 fique de lado, podendo
capotar. O bloqueio pode fazer com que, no caso de uma roda girar em
falso, se consiga sair da situação. Algumas pessoas colocam bloqueio
nos dois diferenciais o que não é consenso entre os especialistas

Bloqueio de Diferencial Central

É uma necessidade nos veículos 4×4 full time (em tempo integral).
Neste veículos, há um diferencial na caixa de transferência, o que
permite que haja tração permanente na quatro rodas, o problema é
quando o veículo está numa situação em que uma e somente uma das
quatro rodas girem em falso (patinem), o que é o suficiente para o
veículo ficar atolado com a tração nas quatro rodas ligada. Para
resolver este problema, se criou o bloqueio central, que torna o
veículo exatamente igual a um willys, em termos de tração. Óbviamente,
não se deve utilizar o bloqueio central em estradões e asfalto, visto
que pode quebrar diferenciais e até caixa. Alguns veículos que
necessitam ter este recurso:
Lada Niva, Land Rover e Pajero.

Caixa de Transferência

É uma caixa complementar a caixa de marchas e possibilita a
transmissão de torque para o eixo dianteiro e traseiro além de
proporcionar a redução da marchas.
Calço Hidráulico
Acontece quando o motor aspira água pela entrada de ar ou pelo escape.
Na tentativa de comprimir a água nos cilindros, danifica peças vitais
como bielas, comando de válvula e até mesmo o bloco do motor. Para
evitar esse desastre é fundamental a instalação de um snorkel, ou
tomada de ar elevada. Pode acontecer com qualquer veículo, 4×2, 4×4,
carro de passeio, caminhão, etc.

Cambão/ Tow-bar

Estrutura triangular com engate que é instalada no chassi (ou
pára-choque) na frente do veículo. Serve para rebocar o carro sem ter
a necessidade de alguém dirigir o veículo rebocado.

Cinta

Normalmente de nylon, a cinta é um acessório útil em operações de
ancoragem do veículo, pois permite a fixação do cabo de aço em uma
árvore sem comprometer o tronco. Muitos desavisados prendem o cabo de
aço direto na árvore, o que pode danificá-la ou até mesmo matá-la. A
cinta também é muito útil para prender um cabo de aço em um veículo
sem pontos de ancoragem.

Degrau

É a capacidade de um 4×4 atacar um obstáculo vertical (como um meio
fio) e superá-lo. Para ser um fora-de-estrada, o mínimo é de 36
centímetros, sem que o pára-choque dianteiro, carroceria ou suspensão
batam. Para superação de um obstáculo destes é necessário bom ângulo
de dorso e de saída.

Diferencial

Uma caixa entre as duas rodas traseiras ou dianteiras que contém
engrenagens permitindo que as duas rodas se movimentem a velocidades
diferentes quando o veículo faz curvas. Ele também permite que uma das
rodas fique girando em falso sem que nenhuma potência vá para a outra
roda. Praticamente todos os carros de passeio e os 4×4 mais antigos
são assim. Também é conhecido como diferencial aberto.

Diferencial Central

Componente que fica instalado na caixa de transferência e compensa,
nas curvas, as diferenças de percurso do eixo dianteiro e traseiro.
Pode ser bloqueado para travessia de obstáculos em trechos fora de
estrada. Equipa todos os utilitários e SUVs com tração integral, como
o Lada Niva, a linha Land Rover e Mitsubishi Pajero respectivamente.

EAS

Eletronic Air Suspension, é outro dispositivo do Range Rover. Existem
modelos adaptáveis a outro veículos. Serve para ajustar a altura do
veículo (levantar ou abaixar), automaticamente (em relação a
velocidade, quanto mais rápido mais baixo) ou manualmente. Isso pode
ser muito útil se o veículo estiver com seu fundo apoiado num
obstáculo (ângulo de dorso máximo). Basta dar uma levantadinha e ir em
frente.

Eixo Flutuante

Sistema de eixo que tem um sistema de rolamentos que sustenta o peso
do veículo. Caso a ponta de eixo se quebre, o sistema mantém a roda no
lugar, e é possível rodar com o veículo utilizando a tração dianteira.
Este tipo de eixo normalmente equipa veículos como: Toyota bandeirante
e Land Rovers

Eixo Semi-Flutuante

Neste caso a ponta de eixo está conectada diretamente na roda. Se a
ponta de eixo quebrar, vai soltar a roda que cairá, deixando o veículo
paralisado até a troca da ponte de eixo. Encontrado em veículos como
Ranger e S10.

Facão

Nome popular para erosão ou valeta mais profunda. O facão pode se
formar por ação natural ou ser provocado pelo trânsito de veículos,
que cavam inicialmente a canaleta com os pneus, deixando o local
propício para formação de erosões pelo efeito da chuva. Os pneus
conhecidos como “frontiera” são os campeões desse tipo de agressão ao
ambiente, e são conhecidos como anti-ecológicos pelos estragos que
causam.

Freio-motor

Recurso que usa o motor e marchas reduzidas para frear o deslocamento
do veículo. Usado em descidas íngremes nos deslocamentos por trilhas e
no dia a dia nas rodovias em descidas de serras, (você já leu em
placas de trânsito: “Use freio-motor”).

Full-time 4WD

Sistema 4×4 onde a caixa de transferência tem diferencial central
(como no Niva, Land Rover, Pajero) sendo possível andar com o veículo
sempre em 4×4. A maioria não possui opção de 4×2 (como, Niva, Land
Rover, Subaru).

Fonte:  www.4x4brasil.com.br/forum/showthread.php?t=47298&page=2

Written by Felipe Portella

fevereiro 7th, 2009 at 3:57 pm

Posted in 4x4

Tagged with

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.